95.9 FM

Impactos da dengue chegam a R$ 20 bilhões

Segundo o Ministério da Saúde, o número de casos de dengue no Brasil pode atingir 4,2 milhões em 2024. Em Santa Catarina, já foram registradas mais de 133 mil infecções, de acordo com o último boletim epidemiológico da secretaria de saúde. A dengue, uma doença favorecida por falhas no saneamento básico e aspectos climáticos, entre outros fatores, tem causado impactos diretos e indiretos significativos na produtividade do país. 

Estima-se que as perdas econômicas decorrentes das arboviroses, como a dengue, cheguem a R$ 20,3 bilhões, segundo pesquisa da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). Esse montante seria suficiente para sustentar o pagamento do Bolsa Família para três milhões de famílias anualmente. O estudo também revela que 60% dos infectados estão na população economicamente ativa e que o custo para tratar os casos previstos pelo ministério pode alcançar cerca de R$ 5,2 bilhões, além de representar perdas de produtividade de R$ 15,1 bilhões devido a um efeito cascata.

No contexto específico de Santa Catarina, uma pesquisa conduzida pela Federação das Indústrias do estado revelou que em 2021 o estado se posicionou como o sexto no ranking nacional em termos do número de estabelecimentos, totalizando 239.648. 

Blumenau se destaca como a terceira cidade com a maior concentração de estabelecimentos, contabilizando 11.582, evidenciando seu potencial econômico. No entanto, o aumento dos casos de dengue na região pode impactar essa dinâmica, com a cidade já registrando 17.800 casos prováveis, 14.700 possíveis casos, além de internações e óbitos. Esses números representam 9% da população do município, evidenciando os efeitos adversos da doença na saúde pública e na economia.

A saúde dos funcionários é fundamental para o bom funcionamento da economia. Quando os trabalhadores estão saudáveis, a produtividade aumenta, as empresas economizam em custos extras e há uma oferta estável de mão-de-obra. Por outro lado, a ausência de funcionários devido a doenças pode resultar em atrasos na produção, perda de clientes e impactos negativos tanto para os indivíduos, que enfrentam despesas médicas adicionais e perda de rendimento, quanto para a economia em geral, especialmente em situações de crises de saúde pública. É essencial, portanto, implementar medidas preventivas para garantir a saúde dos trabalhadores e promover políticas de saúde pública eficazes.

– Evelyn Guarnieri para a CBN Vale do Itajaí

Open chat
Fale com a CBN Vale do Itajaí
Olá 👋
Podemos te ajudar?